Comunicação interna na pandemia
Comunicação

A comunicação interna em tempos de pandemia

Já não é de hoje que se fala em mudanças no ambiente de trabalho, mas, infelizmente, nos vimos forçados a implementar uma série de alterações na dinâmica das organizações devido à pandemia.

Horários alterados, fechamentos de empresas, enfim, quase nada que possamos controlar ou evitar, mas, certo é que a comunicação entre os funcionários e as organizações teve de ser alterada igualmente. Reuniões via Zoom e outras aplicações passaram a fazer parte do cotidiano. Funcionários em regime de teletrabalho e outras mudanças que acabaram por acontecer de forma abrupta, sem preparo, mas que teve de ser e, por isso, é necessário que se encontre meios para que o trabalho seja realizado de maneira eficiente e para que, assim, clientes possam continuar a ser atendidos e empregos possam ser mantidos.

Quais são os desafios da comunicação interna neste cenário?

  • Manter a transmissão de valores e o alinhamento de discurso;
  • Gerar integração e sentimento de pertencimento;
  • Garantir ao máximo o engajamento e a união das equipas;
  • Manter os funcionários motivados;
  • Assegurar o cumprimento de regras e padrões.

Estes são apenas alguns dos muitos desafios que cada empresa terá de esforçar-se para ultrapassar neste momento, de forma a minimizar os danos e a manter os funcionários integrados entre si e às normas e cultura da organização da qual fazem parte.

Para tanto, podemos separar algumas estratégias para gestores e para equipas.

  • Investir nos canais digitais da empresa para compartilhar diretrizes com os funcionários e ter canais separados de comunicação por equipa;
  • O departamento de RH fazer-se cada vez mais presente na vida dos funcionários para identificar e minimizar os danos que estes desafios podem estar a causar nas pessoas;
  • Promover reuniões e treinamentos online periodicamente para que os funcionários saibam como se portar em caso de dúvidas e dificuldades;
  • Acompanhamento constante dos gestores, reconhecimento dos esforços por parte dos funcionários e equipas e a promoção de um diálogo aberto e antecipado para que o conhecimento da situação da empresa seja sempre feito através dos canais oficiais da organização;
  • Confecionar relatórios e manter manuais de boas práticas e novas diretrizes atualizados, e divulgá-los, seja por email, Intranet ou outros canais de comunicação interna.

O mais importante neste processo é que as empresas e as pessoas que fazem parte delas tenham em mente que não importa de onde estão a trabalhar, o mais importante é garantir que os funcionários estejam sempre alinhados com o discurso da empresa, que desempenhem bem e com segurança os seus trabalhos, e mantenham o comprometimento e a dedicação. Isto continuará a ser possível se os funcionários estiverem motivados e acreditarem na empresa e no trabalho que estão a desempenhar.

Tudo é novo para a maioria das organizações, que não estavam habituadas com a realidade do teletrabalho, mas, juntos, será mais fácil chegar a uma adaptação, por isso, a união é um dos pilares fundamentais deste processo. É preciso fortalecer a empatia, a integração, o trabalho em equipa e a disseminação e crença nos valores e na cultura organizacional.

 

*Por Cristine Rocha

Deixe seu comentário

%d bloggers like this: